Noruega diminui pagamentos ao Brasil após aumento da destruição da Amazônia

A Noruega reduziu seus pagamentos anuais ao Brasil para proteger a floresta amazônica em 60%, caindo para US$ 42 milhões após o aumento da destruição da floresta em 2016, mas animou-se com os sinais de que as perdas diminuíram este ano, disse o Ministério da Meio Ambiente da Noruega nesta sexta-feira.

Oslo faz pagamentos anuais ao Brasil como parte de um programa de bilhões de dólares a longo prazo para conter a perda da floresta amazônica, o que ajuda a retardar o aquecimento global. As florestas consomem uma gigantesca quantidade de dióxido de carbono, o principal gás com efeito de estufa produzido pelo homem, mas estão sendo derrubadas para a exploração madeireira e para abrir caminho para fazendas.

A Noruega pagou 350 milhões de coroas (US$ 42,16 milhões) para o desempenho do Brasil em 2016, informou o ministério. Os pagamentos diminuíram cerca de 60% de uma média de 925 milhões de coroas no período de 2009 a 2016.

“Quando o desmatamento aumenta, os pagamentos diminuem”, afirmou o ministro do Meio Ambiente, Vidar Helgesen, em um comunicado.

“No entanto, tenho o prazer de notar que os valores iniciais do desmatamento para 2017 mostram uma redução. Se confirmado, isso levaria a maiores pagamentos no próximo ano”, afirmou.

Em junho, a Noruega disse ao presidente brasileiro Michel Temer (PMDB) que estava preparado para reduzir os pagamentos.

A Noruega, que possui enorme riqueza de petróleo e gás natural produzido no Mar do Norte, foi o maior doador estrangeiro para proteger florestas tropicais do Brasil até a Indonésia.

O desmatamento do Brasil subiu para 7.900 quilômetros quadrados (3.000 milhas quadradas) no ano até junho de 2016 — do tamanho da ilha mediterrânea da Grécia em Creta — de 6.200 quilômetros quadrados em 2015.

As perdas anuais nos últimos anos, no entanto, estão abaixo dos 19.000 quilômetros quadrados perdidos por ano na década até 2005.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Artigos relacionados

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios