Hospital Amazônia – Desrespeito x Indignação

hospital amazôniaO Hospital Amazônia, que desde 26 de janeiro de 1965, presta assistência aos imigrantes japoneses nesta região, assim como também à população brasileira, tem merecido muitos elogios por um trabalho feito há 53 anos com dedicação, respeito e, acima de tudo, gratidão ao povo paraense, que tão bem recebeu os japoneses. Contudo, algumas medidas administrativas vão contra o princípio desta milenar nação, que é respeitar pessoas idosas. Um fato registrado neste sábado, pela manhã, no setor de triagem do Hospital Amazônia, localizado na Travessa Nove de Janeiro, 1267-B, põe por terra todo o esforço feito para manter o conceito do Hospital Amazônia em alto nível. Um cidadão com mais de 80 anos, com visível dificuldade de locomoção, chegou àquele setor 10 minutos após às 10h00 amparado por duas senhoras. O objetivo de sua ida ali era retirar dois pontos de seu supercílio de uma sutura feita naquele hospital, uma semana antes, a quando de pronto atendimento. A atendente, cumprindo à risca determinações superiores informou, secamente, que não poderia ser realizado o procedimento em vista do horário pré-estabelecido (realmente há uma placa indicando este horário) não ter sido observado. De nada adiantaram as ponderações feitas quanto à dificuldade do idoso retornar à tarde (partir das 15h00) em vista de sua quase impossibilidade de locomoção. Indignada, uma das acompanhantes procurou falar com a gerente e foi informada quer a mesma não se encontrava em seu posto. Diante desta situação, procurou a ouvidoria e fez um desabafo ressaltando a falta de respeito, de consideração e, principalmente, de civilidade para com um idoso fragilizado, impossibilitado de se locomover com facilidade, enquanto havia enfermeiros e técnicos disponíveis para o rápido e simples procedimento da retirada dos dois pontos. No site do Hospital Amazônia, que tem como mantenedora a Beneficência Nipo-Brasileira da Amazônia (BENAMA) há uma informação que chama a atenção: “A instituição promove trabalhos sociais e de saúde através de ações, como: assistência médica móvel, que percorre os interiores do Estado do Pará; Centro de Reabilitação Social, situado na Cidade Nova, em Ananindeua, que atende os idosos internos da comunidade nipônica”. Algumas pessoas que ficaram sabendo do fato questionavam se há dois pesos e duas medidas para idosos. Com a palavra a direção do Hosítal Amazônia.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Artigos relacionados

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios