Homem é preso por ejacular em passageira em voo de Macapá para Brasília

Um passageiro do voo da GOL que fazia a rota Belém-Brasília na manhã desta sexta-feira (8), proveniente de Macapá, foi preso ao desembarcar no Aeroporto Internacional Juscelino Kubitschek acusado de ter se masturbado e ejaculado em duas mulheres que viajavam ao seu lado. Ele não teve a identidade revelada, mas informações não oficiais dão conta de que ele é de Macapá, enquanto que as vítimas embarcaram em Belém. Todos os envolvidos foram ouvidos pelo delegado plantonista da 1ª Delegacia de Polícia (Asa Sul) e em seguida o acusado foi liberado para responder ao processo em liberdade.

De acordo com testemunhas, o comandante da aeronave, pertencente à Gol, manteve as portas fechadas para impedir a saída do suspeito. Todos ficaram no avião até a chegada da Polícia Federal. Segundo o advogado das vítimas cerca de meia hora depois da decolagem, às 5h, uma das vítimas, que estava na poltrona do meio, acordou ao sentir que o homem havia pegado sua mão e colocado sobre o órgão sexual dele. “Ela percebeu também que estava molhada na barriga e pernas com o esperma do agressor. A passageira que viajava na janela também acordou e estava com a perna suja”, contou.

Ainda de acordo com o advogado, as duas começaram a gritar e pedir socorro. Ao saber o que havia acontecido, alguns passageiros se revoltaram e alguns chegaram a tentar agredir o homem. A tripulação transferiu as duas para assentos no início da aeronave e o acusado ficou escoltado durante o restante do voo.

Logo após o pouso no Aeroporto JK, as vítimas foram ouvidas por agentes da Polícia Federal (PF), mas, como não havia delegado no local, elas foram encaminhadas para a 1º Delegacia de Polícia do DF (Asa Sul). “Embora a empresa aérea tenha prestado todo auxílio às vítimas, a Polícia Federal e a Polícia Civil são responsáveis por não darem atendimento especializado a elas, que deveriam ter sido encaminhadas a uma delegacia da mulher”, avalia o advogado.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Artigos relacionados

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios