Guamá amplia sistema de tratamento de chorume no aterro de Marituba

guamá

A Guamá vai colocar em operação um novo sistema de tratamento de chorume no aterro sanitário de Marituba. A medida complementa a tecnologia de osmose reversa que opera hoje e visa ampliar a capacidade de tratamento do efluente de 240 mil litros para 600 mil litros por dia, o que representa o dobro do volume gerado pelo aterro. A instalação do equipamento é uma das medidas da empresa para preparar o aterro para o próximo período de chuvas, garantindo o serviço de tratamento de resíduos que atende a 2 milhões de pessoas.

O novo sistema utiliza um combinado de duas tecnologias: hidrocavitação e MBR. O primeiro processo vai reduzir os contaminantes do chorume para deixá-lo com características semelhantes as do esgoto sanitário. Com isso, o efluente pode ser tratamento no segundo sistema, chamado MBR, uma tecnologia de ultrafiltração vinda da Europa que elimina 99,999% das bactérias do chorume, deixando o líquido em condições de reuso para atividades como lavagem de equipamentos.

Nesta fase inicial, será instalado um módulo reduzido do sistema MBR, com capacidade de tratar 30 mil litros de chorume por dia. Esse módulo piloto vai ser utilizado para ajustar o equipamento às características do chorume gerado aqui, o que é essencial para otimizar os resultados operacionais. Na fase seguinte, novos módulos serão colocados em operação, até a capacidade de tratamento de 600 mil litros de chorume por dia, atendendo plenamente às necessidades operacionais do aterro.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here